terça-feira, 10 de Maio de 2011

Guus Hiddink and André Villas Boas top Chelsea's managerial hit-list


Chelsea are to intensify their search for a manager to replace Carlo Ancelotti, with the club's owner, Roman Abramovich, seriously considering the merits of Guus Hiddink and Porto's André Villas Boas to replace the Italian at Stamford Bridge.
Defeat by Manchester United on Sunday effectively ended Chelsea's title defence, condemning the club to the third trophyless season of the Abramovich era. Ancelotti, who had claimed the London club's first league and FA Cup Double in his first season, is due to meet the chief executive, Ron Gourlay, in the week after the final round of Premier League matches and is expecting to be relieved of his duties after two years in charge and with 12 months of his contract to run.
The lack of obvious, high-calibre candidates to replace the 51-year-old had offered hope that he might be afforded a reprieve, though the combination of relative failure in successive Champions League campaigns and a mid-season slump that wrecked their domestic pursuit of honours – despite a late-season revival – appears to have terminally eroded the owner's faith in the management team. Ancelotti has already made it clear he would prefer to remain in England next season and, despite interest at Roma, is not inclined as yet to return to Serie A.
With Pep Guardiola to remain at Barcelona for another season at least, Hiddink continues to top the list of potential replacements for Ancelotti. The Dutchman is a familiar figure in south-west London, having enjoyed a successful spell, including winning the FA Cup, at Stamford Bridge in 2009 as caretaker after the dismissal of Luiz Felipe Scolari. The 64-year-old is contracted to the Turkish Football Federation to the end of the 2012 European Championships and is loth to break that agreement. He has forged himself an admirable reputation over the years for refusing to walk away from contracts, a stance that cost Chelsea the chance of securing his services full-time two years ago when he was still working for Russia.
However, the Chelsea hierarchy retain some hope that Hiddink could yet become available in the summer, particularly if Turkey lose their Euro 2012 qualifying fixture away to Belgium on 3 June. The Turks are third in Group A, a point behind their next opponents. It remains to be seen whether the veteran manager – who has coached seven clubs in four countries and five national sides – would be willing to take on another major full-time club job though, if there are any doubts, the club would be keen to secure his services as a sporting director to replace the outgoing Frank Arnesen.
That would allow them to supplement his appointment with that of a young, up-and-coming manager to oversee the first team with the safety net of Hiddink in the background. The Dutchman's instinct may be to promote Marco van Basten, a former Holland and, briefly, Ajax manager, in that scenario but Villas Boas has caught theeye after a startling campaign with Porto. The Portuguese club will meet their compatriots Braga in next week's Europa League final in Dublin having secured their domestic championship with a record points tally and five matches to spare.
The 33-year-old has already worked at Chelsea, having joined José Mourinho at the club in a role that ultimately saw him scouting opponents, a relationship that was maintained at Internazionale before Villas Boas took over at the Portuguese club Academica and went on to save them from relegation last season.
His qualities are known to the Premier League club's hierarchy and, while Mourinho arguably boasted more established pedigree having won both the Uefa Cup and the Champions League before he was prised from Porto in 2004, the younger man's achievements this year have been noted with interest.
Villas Boas himself believes he may be better suited to continue learning his trade in Portugal for a further season but he is ambitious and would struggle to resist an offer to return to Stamford Bridge. "London is a city where I could live perfectly," he said this month. "The people in the club are fantastic – from the players, staff and the owner. With José we reached maximum success. Chelsea won the Premier League title, 50 years after they last won it. It was something very, very strong and made a big impact on world football and maybe it established the name of Chelsea as a really successful club in the world."
While the former Liverpool manager Rafael Benítez would be interested in the position, Chelsea are not inclined to turn to the Spaniard, while others within the game have pushed the credentials of Mark Hughes and Harry Redknapp. The former Barcelona manager Frank Rijkaard is not thought to be under consideration.
in "guardian.co.uk"

Noite ao relento para conseguir bilhetes

Loucura na procura de bilhetes para final da Liga Europa.


Os bilhetes para a final da Liga Europa de futebol foram, esta terça-feira, postos à venda no Estádio do Dragão, no Porto, e Nuno Pereira foi o primeiro a sair da bilheteira com dois, após uma noite passada ao relento.
Quinto da fila que se começou a formar às 10h de segunda-feira, Nuno Pereira acabou por ser o primeiro a guardar no bolso os ingressos para a final de Dublin, entre o FC Porto e o Sporting de Braga.
Nuno Pereira disse à Agência Lusa que até nem teve que esperar muito, pelo menos comparativamente com as finais de Sevilha e Gelsenkirchen. «Vale sempre a pena, por muito que seja o tempo passado na fila».
Manuel Dias, que detinha a “pole position” para a compra de ingressos, um por cada cartão de sócio no máximo de dois por comprador, foi o primeiro a “acampar” junto às barreiras colocadas em frente às bilheteiras.
«Estou aqui desde as 10 da manhã de ontem [segunda-feira]. A noite foi passada em convívio. Fomos organizando por ordem a lista de chegada e fizemos chamadas de duas em duas horas», disse Manuel Dias.
Para Manuel Dias, que repete as noites ao relento passada para as finais de Sevilha e Gelsenkirchen, «o mais difícil foi não ter uma casa de banho perto, principalmente para as senhoras que estavam na fila».
«Estou confiante para a final de Dublin, senão estivesse não perdia este tempo todo, embora seja um jogo de futebol e tudo possa acontecer. Mas estou confiante na vitória do FC Porto», acrescentou Manuel Dias.
Adão Ribeiro, tal como os primeiros da fila, passou a noite em frente às bilheteiras, desde as 22 horas de segunda-feira, tal como aconteceu para as finais de Sevilha e Gelsenkirchen.
«Já é a terceira vez e não será a última», disse.
«Estou mesmo empenhado em ir a Dublin. Esta cor – disse apontado para o cachecol do FC Porto -, merece tudo», acrescentou Adão Ribeiro, que acredita num bom desempenho dos “dragões” em Dublin.
Apesar de alguns dos que se encontravam na fila terem preferido manter o anonimato e esconder a cara por se encontrarem em horas de serviço, Adão Ribeiro disse que não tem esse problema: «O patrão sabe onde estou».
As bilheteiras do Estádio do Dragão abriram hoje por volta das 11 horas, para a venda do primeiro lote dos 12 mil ingressos que o FC Porto possui, a 50 e 80 euros, e a fila apresentava cerca de 600 sócios.
in "sapodesporto.pt"

Pinto da Costa: "André, quero-te na tua cadeira de sonho durante muitos anos"

"No dia em que André Villas-Boas foi apresentado, já sabia que íamos estar aqui, hoje, a festejar o título", garantiu Pinto da Costa ontem à noite, no final do Jantar dos Campeões que reuniu a família portista no Palácio da Bolsa. Num discurso que deliberadamente evitou polémicas, o presidente portista desmistificou a sua premonição com uma mão-cheia de outras certezas. "Sabia que íamos festejar porque o conhecia, porque o vi nascer para o futebol e conhecia a sua capacidade. Sabia que tinha tudo o que é preciso para ter sucesso como treinador, e ainda juntava a tudo isso o facto de ser tão dragão como todos nós", explicou, estendendo a sua admiração "à equipa técnica que ele teve a inteligência de formar". E porque nunca duvidou de Villas-Boas, Pinto da Costa fez questão de vincular o técnico a uma das frases mais marcantes do técnico portista esta temporada, quando lhe perguntaram se admitia sair. "Ele disse: 'Porquê? Estou na minha cadeira de sonho!' Pois bem, André, é nessa cadeira de sonho que te quero ver muitos anos e é nela que quero que sejas muito feliz muito tempo. É aí que te queremos proporcionar todas as condições para que esta não seja apenas uma época, mas a primeira de muitas."

E porque nenhum treinador é campeão sem jogadores, Pinto da Costa não esqueceu o plantel, classificando-o como "um grupo de jogadores à Porto". "Um grupo com um grande espírito de colectivo, rigor, uma grande ambição e, acima de tudo, enorme paixão pela camisola que enverga", frisou, creditando-lhe uma "vitória que é dos milhões que gostam do FC Porto, mas também daqueles que se revêem no nosso clube e no nosso exemplo de luta e de afirmação". Mais concretamente, porém, Pinto da Costa fez questão de dedicar a conquista do 25º título da história do clube a José Maria Pedroto e Pôncio Monteiro, bem como às respectivas famílias, presentes no jantar de ontem. Ainda antes disso, o presidente do FC Porto quis envolver António Salvador, presidente do Braga, numa promessa dirigida a Cavaco Silva, que felicitara os dois clubes pela presença em Dublin. "Quero dar-lhe a garantia de que a final da Liga Europa será disputada com garra e querer, mas também com muito fair play."

Pinto da Costa agradeceu ainda aos dirigentes dos outros clubes presentes na festa, bem como aos autarcas - lamentando não poder contar com nenhum deles na Câmara do Porto -, aos presidentes das associações e aos "sponsors" do clube. A terminar, o presidente do FC Porto estendeu as felicitações aos campeões do andebol, desejando ainda felicidades aos atletas do hóquei e do basquetebol e recordando que são as vitórias do clube que "fazem com que muita gente sinta vontade de sorrir numa altura complicada". Envolvendo todos os portistas "num abraço", Pinto da Costa encerrou a noite com um grito: "Viva o FC Porto!"

in "ojogo.pt"

A melhor dupla de sempre

Juntos, Hulk e Falcao valem 72 dos 136 golos marcados pelo FC Porto esta época. O mesmo é dizer que representam mais de 50 por cento da finalização. Ou, por outras palavras, que formam a melhor dupla de sempre do ataque portista. Isto não é uma opinião; é estatística pura e dura.

Não há, na história do FC Porto, parceria tão eficaz no que toca a golos, ainda que, isoladamente, Jardel e Gomes tenham conseguido marcar mais do que Falcao. O colombiano já vai em 37 remates certeiros, tendo ultrapassado os 34 da época passada, mas está ainda longe do que Jardel (56) e Gomes (50) conseguiram por conta própria numa só temporada, com uma ressalva importante: nas contas entra o bolo total, sem a variável do número de jogos de que precisaram para chegar a esse registo.

Esta temporada, apesar de ter parado quase um mês no início de 2011 para recuperar de um problema físico, Falcao encontrou na Liga Europa a prova ideal para sobressair e, nas últimas jornadas, consumou também uma recuperação no campeonato que lhe permitiu chegar ao segundo lugar da tabela dos goleadores (16 golos). A outra metade da explicação para a dupla mais eficaz de sempre no FC Porto está sete golos mais acima: Hulk, com 23 só no campeonato, está também na melhor época de sempre no que toca a golos. Somando as parcelas todas, já vai em 35. O colombiano e o brasileiro andam ao desafio nesse particular (37 contra 35 golos esta temporada) e já sabem que tudo o que acrescentarem nos três jogos que faltam será lucro na contagem para reforçar a certeza de que já são a melhor dupla de ataque. Em segundo lugar estão Gomes e Walsh, que em 1982/83 somaram 69 golos. Jardel e Domingos, em 1999/2000 partilharam 64, ainda que, mais do que dupla, os dois fossem concorrentes ao mesmo lugar.
Falcao e Hulk complementam-se bem e, na Europa, não falta quem os queira ver juntos... noutras paragens.


37

Golos marcados por Falcao este ano: 17 na Liga Europa, 16 no campeonato, um na Supertaça e três na Taça Portugal. El Tigre ultrapassou o registo da época passada, que lhe tinha rendido 34 golos.


35

Golos de Hulk esta época, a melhor das três que está prestes a completar no FC Porto. O brasileiro é o goleador do campeonato (23 golos) e marcou também na Liga Europa (8), Taça de Portugal (3) e Taça da Liga (1)

in "ojogo.pt"

João Moutinho está apto para jogar

A notícia já tinha sido dada por André Villas-Boas durante a conferência de Imprensa após o jogo com o Paços de Ferreira, mas ontem chegou a confirmação. João Moutinho está apto para disputar a final de Dublin e, consequentemente, a Taça de Portugal com o Guimarães. Apesar da contusão, o pé direito não sofreu nenhuma lesão grave depois da entrada de Nélson Oliveira, que acabou expulso. Resta, no entanto, saber se o médio portista já se vai integrar normalmente no treino de amanhã ou se será alvo de poupança. Antes de Dublin, o FC Porto joga no sábado com o Marítimo, no Funchal

in "ojogo.pt"

Deco: "É muito difícil serem tão felizes noutro clube"

A história está prestes a repetir-se. Oito anos depois da vitória em Sevilha, o FC Porto volta a ter hipótese de conquistar a Liga Europa - na altura, denominada Taça UEFA -, numa época com contornos cada vez mais épicos. No meio de tantas vitórias, sobra, pelo menos para já, apenas uma certeza: os principais clubes europeus voltam a piscar o olho à grande maioria dos jogadores do FC Porto. Sobra a pergunta: como é que um jogador consegue resistir a tão grandes promessas? Deco, que até ficou mais um ano pelo Dragão depois de conquistar a Taça UEFA em 2003, conta como tudo se passou depois da conquista de Sevilha. Directamente do Rio de Janeiro para o jornal O JOGO, o médio reconheceu, no entanto, que esse não é um trabalho fácil para os dirigentes, até porque o assédio aos principais jogadores do plantel vai aumentar nos próximos tempos. Afinal, dinheiro é sempre dinheiro. Não é fácil resistir à tentação de um contrato milionário, mas Deco acabou por ficar. E até conseguiu o que lhe parecia impossível: vencer a Liga dos Campeões. Por tudo o que viveu em Portugal, o "mágico", que também passou pelo Barcelona e Chelsea antes de voltar ao Brasil (está no Fluminense), avisa Hulk, Falcao e companhia que, dinheiro à parte, não há melhor clube do que o FC Porto.


Como é que se convence os principais jogadores do FC Porto a ficarem mais um ano depois de conquistarem uma competição europeia?

Vou ser sincero: não é fácil convencer... Os jogadores têm ambições. Por exemplo, o Hulk e o Falcao têm, de certeza, muitos clubes interessados por essa Europa fora. Para além disso, é natural que os jogadores queiram ir para outro clube, de outro campeonato. Faz parte do futebol.

E como é que o convenceram a ficar? Afinal, continuou por mais um ano depois de ganhar a Taça UEFA...

Fui convencido pelo presidente e pelo próprio Mourinho. Vieram falar comigo e disseram-me que queriam montar uma grande equipa, para vencer a Liga dos Campeões. Na altura, achei que era ambição a mais, pensei que estavam doidos... Mas não e acabou por ser comprovar. Se os jogadores estiverem felizes, como eu acredito que estejam, e dependendo da idade, até podem ficar por mais um ano. Eu fiquei e não me arrependi.

O FC Porto terá condições para rivalizar com os principais clubes europeus e manter os seus jogadores?

O FC Porto tem uma história fantástica e os jogadores sentem-se bem no clube. Posso garantir uma coisa por experiência própria: é muito difícil algum jogador sentir-se tão feliz noutro clube como no FC Porto. É verdade que o aspecto financeiro é importante, mas o FC Porto só perde mesmo nisso para os maiores da Europa. Em tudo o resto - condições, nível humano, etc., etc. - é melhor ou, na pior das hipóteses, é igual. Mas esta é também a história do clube: formar grandes equipas, fazer grandes jogadores e, depois, vendê-los para começar tudo de novo.

"Afirmação de Hulk na selecção é uma questão de oportunidade"

Hulk já explodiu em Portugal - até mais do que uma vez... -, mas continua sem ter grandes oportunidades de se mostrar na selecção brasileira. As convocatórias têm sido esporádicas, as hipóteses de jogar ainda pior. Deco não concorda com a ideia de que o Brasil ainda não conhece o verdadeiro Hulk e acredita que tudo não passa de uma questão de oportunidade. "Os jogos do campeonato português passam na televisão e, agora, os treinadores nem têm de se deslocar aos estádios para ver os jogadores. Aqui, todos sabem o que ele vale. Para mim, a questão essencial passa pelo facto de ele ainda não ter tido uma verdadeira oportunidade na selecção. Já foi convocado mais do que uma vez, mas nunca chegou a ser uma aposta definitiva. Apesar disso, não tenho dúvidas de que tem capacidade para se afirmar na selecção. É uma questão de tempo", confessou.


"Falcao está a fazer história"

Depois da partida com o Paços de Ferreira, Falcao chegou aos 37 golos esta temporada, depois de ter feito 34 no primeiro ano em Portugal. "Ele é fantástico. Faz golos com uma grande facilidade", comentou Deco, que também encontrou no FC Porto um goleador "inesquecível": Jardel. "É difícil comparar os dois. O Jardel tem uma história em Portugal muito boa para contar, não só pelo que fez no FC Porto, mas também pela sua passagem no Sporting. Hoje é a vez de Falcao estar a fazer história. São dois grandes jogadores."

"Esta equipa tem capacidade para ser superior à de Mourinho"

Apesar da distância física que o separa de Portugal, Deco confessa que faz questão de continuar a acompanhar o campeonato português; afinal, as ligações são grandes e continuam intensas. Por isso, ficou feliz por a final da Liga Europa ser disputada entre dois clubes portugueses. "Ainda mais com o FC Porto lá..." Para Dublin, aponta um favorito e diz mesmo que esta equipa de André Villas-Boas pode ser melhor do que a de Mourinho.


Que opinião tem sobre esta época do FC Porto?

Tenho visto muitos jogos e o FC Porto é, actualmente, muito superior a todas as outras equipas em Portugal; joga mais e melhor futebol, não só no campeonato, mas até na Liga Europa. Tem uma equipa muito forte, de gente nova, com muita qualidade. São muito competitivos. O presidente está de parabéns. Ele e todo o seu staff.

Pode-se depreender das suas palavras que considera o FC Porto favorito a vencer a final da Liga Europa...

Se olharmos para as duas equipas, para a sua qualidade individual e colectiva, mas também para a sua história, o FC Porto é mais forte e deverá ser considerado o favorito no plano teórico. Mas uma final é sempre especial. Sendo apenas um jogo, tudo pode acontecer, até porque o Braga também está forte e tem uma equipa experiente. Vai ser um jogo diferente.

E onde vai assistir ao jogo?

Gostava muito de ir a Dublin, mas infelizmente o campeonato estará a começar e não me posso ausentar do Brasil. Fico com pena, mas vou acompanhar o jogo pela televisão.

Pinto da Costa afirmou recentemente que esta equipa é melhor do que a de Mourinho. Concorda?

Concordo com a ideia de que esta equipa tem capacidade para ser superior à de 2003 e 2004. Sem dúvida. Mas só o tempo dirá se foi... No entanto, a história é mesmo assim; é escrita para depois aparecer alguém a tentar fazer melhor. Apesar disso, é difícil comparar, até porque são duas grandes equipas. A realidade mostra que a equipa actual está a fazer um campeonato absolutamente fantástico, uma temporada fora do comum; têm muita qualidade e um treinador que surpreendeu muita gente.

"Selecção precisava de uma pessoa como Paulo Bento"

Deco abandonou a Selecção Nacional depois de ter participado no último campeonato do mundo, uma despedida que esteve longe de ser a desejada. Os problemas com Carlos Queiroz fazem parte do passado - "Não quero falar sobre o assunto", atirou -, até porque o médio preferiu apontar ao presente, que se faz com Paulo Bento. "Tenho acompanhado os jogos da Selecção e estão novamente a jogar bem. Paulo Bento é o treinador certo no momento certo. Portugal tem uma geração nova, com muito talento, e o Paulo Bento conhece a maior parte deste jogadores, com quem já trabalhou. Era de uma pessoa assim que a Selecção precisava; de alguém que saiba gerir um balneário, que saiba controlar e falar com os jogadores." Indirecta a Queiroz? Deco diz que não...

in "ojogo.pt"

O que pensam os adjuntos sobre Villas-Boas?

Pedro Emanuel, Vítor Pereira, José Mário e Wil Coort destacam um pormenor do treinador: é um perfeccionista incurável.

Normalmente trabalham na sombra do líder. Esta noite os holofotes foram dele e deu para perceber o que pensa toda a equipa técnica portista de Villas-Boas. Pedro Emanuel, por exemplo, não quis estabelecer comparações com o Porto de Mourinho, referindo que Villas-Boas merece todos os elogios.

«Eu sou uma pessoa ambiciosa e detalhista, mas ele ainda me consegue superar no dia-a-dia», referiu o adjunto. «Villas-Boas é o nosso líder, tem uma personalidade e uma ambição bem definidas, desenvolve o trabalho de uma forma natural e tem grande identificação com o que é o F.C. Porto.» 

Pedro Emanuel garante de resto não ter ficado surpreendido com a qualidade do técnico. «Já tínhamos trabalhado juntos e já sabia do que era capaz, mas fiquei surpreendido, isso sim, com o à-vontade, personalidade e a forma simples como trabalha diariamente. Já Wil Coort ficou surpreendido.

O holandês é o mais antigo, está no F.C. Porto há seis anos e diz que já é portista desde pequenino. Mas nunca vira nada assim. «Surpreendeu-me, claro. Não o conhecia e o trabalho que fez foi espectacular. Exige a perfeição em todos os aspectos. Para ele e para os que trabalham com ele.»

Vítor Pereira garante que com Villas-Boas todas as ambições são possíveis. «Quem está no F.C. Porto, trabalha com qualidade, acredita nos seus princípios e tem um treinador inteligente como é Villas-Boas, num clube com uma estrutura de topo mundial, acredita sempre que pode ganhar estes títulos.»

Por fim José Mário Rocha, o preparador-físico, conhece Villas-Boas há mais tempo. «Trabalhei com ele na formação do F.C. Porto e tive sempre uma opinião positiva das suas capacidades. A aprendizagem que teve com Mourinho, aliada à sua capacidade, faz dele o treinador que toda a gente vê.»

in "maisfutebol.iol.pt"

Otamendi: «Ganhar 5-0 ao Benfica foi especial»

Central diz que ganhar quatro clássicos ao maior rival faz parte das memórias mais felizes desta temporada


O F.C. Porto juntou-se para um jantar que servia para celebrar o título nacional, mas Otamendi não tira a cabeça dos títulos. O argentino só pensa em ganhar as duas finais e fechar com chave-de-ouro a época. O pensamento do grupo, garante, está todo concentrado no que falta ganhar também.

Olhando para trás, porém, foi-lhe perguntado qual a vitória mais saborosa. «Os clássicos têm um sabor particular», diz. «Ganhar no campo do Benfica e ser lá campeão é muito bom, mas ganhar 5-0 em nossa casa foi especial. Os clássicos têm um sabor diferente, sobretudo porque são jogos-chave.» 

Agora já olha para o que aí vem. «Ainda faltam duas finais e duas competições para ganhar. Estamos a festejar o que já ganhámos, mas não podemos esquecer que ainda há mais para conquistar. Está a ser a época sonhada por todos. Agora queremos fechar o ano com mais dois troféus.»

Para trás ficou a certeza que não se arrependeu de ter escolhido o F.C. Porto. «Quando saí da Argentina sabia que vinha para um grande clube, aqui encontrei um grupo forte e com muita vontade de ganhar. Os jogadores estão bem, dão-se bem e querem muito ganhar. Está a ser tudo muito lindo.»

in "maisfutebol.iol.pt"

«Os desafios ainda não acabaram» - João Moutinho

Ambicioso. João Moutinho afirma que o principal motivo da sua transferência do Sporting para o FC Porto está resumido nos títulos que a turma portista já conquistou e poderá ainda vencer, esta temporada. 

«Ficou provada com a conquista de dois títulos [Supertaça e Campeonato Nacional] e a presença em duas importantes finais [Liga Europa e Taça de Portugal]. Os desafios ainda não acabaram, os grandes desafios são as finais. Vamos continuar a trabalhar para atingir os nossos objectivos. Logo no primeiro minuto, quando cheguei a este clube, perguntaram-me se mudei para ganhar títulos. E sempre foi isso que considerei»,disse, justificando a saída do Sporting. 

«Desde que vi a organização e me disseram quais eram os objectivos que percebi que podíamos ganhar", prosseguiu o internacional luso, à entrada do jantar do plantel dos azuis e brancos, realizado no Palácio da Bolsa, na cidade do Porto.

«Faltam jogar três finais, pois queremos terminar o campeonato sem derrotas e vencer a Liga Europa e a Taça de Portugal», finalizou o número oito dos dragões. 


in "abola.pt"